Voltar
  • Fale conosco
  • Portal do aluno

Para a Escola Eleva, a avaliação é parte essencial do processo de aprendizagem. É pelos instrumentos de avaliação que o(a) aluno(a) vai percebendo como seu aprendizado acontece, o que está bem construído, o que precisa ser retomado ou até aprimorado. Para o educador, a avaliação permite reconhecer a efetividade de suas ações pedagógicas e as mudanças e intervenções necessárias para auxiliar o(a) aluno(a) em seu percurso de aprendizagem.

Sendo assim, a Política de Avaliação na Escola Eleva possui três objetivos principais: (i) medição da aprendizagem; (ii) ajuda e estímulo no processo de aprendizagem; e (iii) aprimoramento da aula.
Esses objetivos são alcançados a partir de diferentes tipos de avaliação – implementados de forma gradual, feedbacks do professor, possibilidade de reavaliação além da recuperação final.

Visando respeitar o amadurecimento dos(as) alunos(as), o processo avaliativo evolui de forma gradual ao longo dos anos escolares. Começamos com uma avaliação diária e contínua em caráter de acompanhamento na Educação Infantil e nos primeiros anos do Ensino Fundamental I e, à medida que o(a) aluno(a) cresce, inserimos mais momentos de avaliações formais, mas sem abrir mão dos momentos formativos e da diversidade de instrumentos utilizados.

Na Escola Eleva existem três tipos de avaliação: somativas, formativas e externas.
As avaliações somativas, avaliações da aprendizagem, cumprem o primeiro objetivo de medir a aprendizagem por meio de uma avaliação mais formal ao final de um período avaliativo. Elas resultam em um conceito ou uma nota que indica o quanto o(a) aluno(a) aprendeu em relação aos objetivos de aprendizagem esperados da série naquele período.

As avaliações formativas, avaliações para aprendizagem, são aquelas que acontecem ao longo do processo de aprendizagem. Elas visam a oferecer um diagnóstico em relação aos objetivos que serão aferidos nas avaliações somativas. A partir da identificação dos pontos de melhoria, são realizados os feedbacks individuais ou coletivos. As aulas também podem ser ajustadas e são feitos os registros de acompanhamento das estratégias adotadas com os alunos e dos avanços obtidos. As avaliações formativas não entram no cômputo da média bimestral.

Nas avaliações formativas e somativas, utilizamos múltiplos instrumentos avaliativos incluindo, por exemplo: projetos, apresentações, pesquisas, trabalhos em grupo (sempre com nota individual), portfólio do aluno e, no caso específico das somativas, também os exames formais.

Por fim, as avaliações externas permitem acompanhar o progresso dos(as) aluno(as) em relação a padrões nacionais e internacionais e, consequentemente, fortalecem nosso planejamento interno e o aprimoramento das nossas aulas. Alguns exemplos de avaliações externas utilizadas na Escola Eleva são exames de proficiência em inglês (AAPPL), a partir do Ensino Fundamental, e simulados ENEM ou SAT, a partir do Ensino Médio.

Do infantil até o 3° ano, as avaliações não têm natureza reprobatória. As crianças são avaliadas continuamente por meio de atividades formativas em sala, gerando registros de aprendizagem. Esses registros são avaliados pelo(a) professor(a) e consolidados no Report Card e no Portfólio de cada aluno(a).

A partir do 2º semestre do 3° até o final do 5° ano, a criança passa a fazer bimestralmente avaliações somativas de cada disciplina que são avaliadas por meio de conceitos (A+,A,B,C,D). Além desses momentos formais, seguimos com a avaliação contínua de cada criança por meio de atividades formativas em sala, registradas e analisadas no Portfólio do aluno.

Do 6° ao 12° ano, damos mais um passo na progressão das avaliações. Elas seguem divididas em 4 bimestres, mas passamos a trabalhar com notas numéricas e a ter mais momentos de avaliações formais. Ao final de cada bimestre, o resultado das somativas de cada disciplina é comunicado para o aluno e para a família por meio de uma nota numérica de 0 a 10.